Tag Archives: autor / author

CONSTRUINDO A CAPA – BUILDING THE COVER

A capa deve ser construída com cuidado e com um bom planeamento. Muitas vezes, enquanto criamos a história, algumas ideias vão surgindo na nossa mente sobre o aspecto que gostariamos que a capa do nosso livro tivesse, no entanto, é preciso ter em conta que não somos especialistas e a capa deve ser desenhada por designers, habituados a lidar com marketing e imagens de marca. Não quero com isto dizer, que a ideia do escritor deva ser ignorada, muito pelo contrário, ela mostra uma imagem personalizada e muitas vezes é fundamental para captar a essência do livro, mas a mesma deve ser trabalhada pelo artista, de modo a tornar-se marcante e apelativa.

Ousar, mas não em demasia!

Uma boa capa deve ser ousada e diferente, chamando imediatamente a atenção do leitor sobre ele, no entanto, nada de cair em exageros: algo demasiado diferente ou irreverente pode ter o efeito contrário, sobretudo em leitores mais conservadores.

É importante que o designer conheça o livro

O conteúdo do livro é, para a grande maioria dos profissionais que desenham capas, o principal ponto de referência para o seu trabalho, o que torna implícita a necessidade de lerem a história como parte da sua preparação para o processo. O designer Chip Kidd (http://chipkidd.com) afirma mesmo que lê os livros antes de começar a fazer as capas. Infelizmente para os autores, isto nem sempre acontece, especialmente, quando estamos a falar em primeiras publicações, na grande maioria das vezes realizadas com editoras pequenas, pelo que devem ficar atentos ao que vos é apresentado e se sentirem a necessidade de vetar a capa proposta, não hesitem. É o vosso trabalho que está em jogo aqui, não temam dar opiniões. Oiçam os especialistas, mas deixem bem clara a vossa opinião ou ficarão extremamente insatisfeitos com o resultado final.

Um só livro, ou uma série de livros?

Esta é uma questão à qual o escritor tem de responder o mais depressa possível. Quando estamos perante uma série de livros, deve haver um planeamento mais ou menos conjunto, para que todos tenham o mesmo estilo e fiquem bem, juntos numa estante. Pode não parecer assim tão significativo à partida, mas acreditem que poderá fazer toda a diferença pela óptica dos leitores. Se não houver este cuidado, pode dar-se o facto do leitor pensar: para quê comprar o próximo livro? Há uma maior tendência para adquirir toda a série, se o conjunto dos livros formar algo interessante visualmente.
Assim, ao planear uma série de livros, é importante que cada uma das capas, não só, respeite o título individual do livro, como mantenha uma relação óbvia com as restantes, havendo determinados elementos gráficos que façam parte de todas elas.

Então, e os e-books?

A Internet é, sem sombra de dúvida, um excelente espaço para dar a conhecer e fazer publicidade ao seu livro, mas isto não é o suficiente. Boas reviews são excelentes e ajudam-nos a consolidar um certo público, mas a capa é sempre a primeira coisa que as pessoas vêem e o principal motivo pelo qual vão procurar mais informação sobre determinada obra. O mesmo acontece com os e-books. Na verdade, uma boa capa é fundamental e, em sítios como a Amazon, devemos ainda colocar outra questão: esta capa fica bem em tamanho thumbnail?

E a editora?

A identificação da editora é fundamental e pode até influenciar a aquisição do livro pelos leitores. A capa e a lombada sao espaços privilegidos para esta identificação, sendo que não se trata apenas de incluir o nome e o logotipo da mesma. Muitas vezes, a editora trabalha com colecções que incluem livros de diversos autores e estes devem ter um ponto comum. É importante discutir todos estes pormenores com a editora, antes da decisão final.

 

A capa deve ter um aspecto profissional, caso contrário os leitores vão acreditar que se trata de trabalho de amador e ignorá-lo por completo. A maioria do público vai considerar que um trabalho assim não merece o tempo que perderão a lê-lo, por isso, é preciso escolher com muito cuidado, não só o tema da capa, mas também o designer. Um bom entendimento entre o autor e o designer é fundamental, especialmente nas edições de autor (self publishing). Nunca se esqueçam que uma má capa, pode arruinar anos de trabalho intenso.


The cover for your book must be built carefully, with the help of some good planning. Many times, when you create the story, some ideas may pop up in your head about the cover’s design, although, you need to keep in mind that you’re not a specialist and the cover should really be designed by professionals, who are used to dealing with marketing and branding considerations. This doesn’t mean that your idea isn’t important or that it should be ignored, quite the opposite. Your idea probably shows a personalized image or notion and is often an essential component in order to capture the book’s essence, but it should be crafted by the artist anyway, to make that it is appealing or outstanding.

Daring, but not too much!

A good cover should be bold or different, getting the potential reader to immediately look at it, however, you must be careful so as not to exaggerate: something too different or too irreverent could have the opposite effect, especially with the most traditional readers.

The designer needs to know the book and what it’s about!

Most of the professionals who design book covers admit to the contents of said books being the main reference for their work process. This should in fact tell you how real, obvious and necessary it is, that your own cover’s designer read your book’s story, in preparation for his own cover design process and work. The designer Chip Kidd (http://chipkidd.com) has stated multiple times, that he reads the books fully before starting any work on their covers. Unfortunately for the authors, this isn’t a rule set in stone for all designers, specially on your first book, usually published by small companies, so you must pay attention to what is presented to you and, if you feel that need, just say no to that particular cover project. Do not hesitate. It is your work on the line, do not be afraid to make your opinion known. You need to hear the specialists, of course, and heed their advice, but you should make your opinion very clear, or you’ll risk being disappointed with the final result.

One book or a series of books?

This is an important question, which the author has to answer as soon as possible. When you’re doing a series of books, a general plan for all of those covers should be made, so they have the same style and look good on a shelf (be it in the bookstore, library or at home). That may not seem very significant, but it can make all the difference to your audience. If this isn’t carefully planned or thought out, your reader might in turn think: why should I buy the next book? There is a statistically greater tendency to acquire the whole series if the books match somehow, becoming visually interesting or appealing.
Therefore, when you’re planning covers for a series of books, it’s important that each one of them not only shows the individuality of that particular book, but also, shows an obvious relationship with the others, keeping some graphic elements that may be a part of the entire series’ covers.

And how about e-books?

The Internet is, without a doubt, a great place to spread the word, but it’s not enough. Good reviews are great and can help you in consolidating your audience. However, the cover is always the first thing people see and one of the main reasons why they will get interested or curious and try to learn more about your book. With e-books in particular, this isn’t at all different. In fact, a good cover is always fundamental, a staple even, and in web stores like Amazon, you should even go so far as to think about another small point: does your cover look good in a thumbnail? It wouldn’t hurt!

And… how about the publisher?

The publisher logo or identification is quite important as well and those can even be an influence on the readers, as to whether to buy the book. The cover itself and the book’s spine are privileged spaces for this and should often include both the publisher’s name and logo. Many times, the publishers work on a collection basis, and each one of these collections will include books written by many different authors and should have some commonality among them, which can also be displayed. It’s important to discuss all these details with your publisher before reaching and taking a final decision.

A cover must look professional, otherwise your readers will think you’re an amateur and ignore your work. Most of the public will believe that a book with a very poor cover generally isn’t worth their time, so you must choose carefully, both the cover’s theme and the designer. A good understanding between the author and the designer is paramount, especially in self publishing. Never forget that a bad cover can actually harm, or even ruin, years of hard work.

PALAVRAS DE UM SONHO – WORDS OF A DREAM

Foi com muito gosto que recebi o contacto de mais um jovem autor e aqui fica as informações da sua obra para a Campanha ‪#‎Chuva_de_Encomendas‬.

Contamos convosco para divulgação e partilha.

Título: Palavras de Um Sonho
Autor: Tiago Pereira
Número de páginas: 88
ISBN: 978-989-51-2428-2
Colecção: Prazeres Poéticos
Género: Poesia

Sinopse: A realidade que acompanha a nossa existência é construída a partir do conhecimento que retemos das coisas que tocamos, das paisagens que vislumbramos, das pessoas que amamos.
Resignar-nos perante o que consideramos ser real é reconhecer, com plena consciência desse conhecimento, a incapacidade do ser humano para se superar diante de novas inquietudes, aventuras e sentimentos. Todavia, para enorme gáudio dos racionais, a existência humana não se reduz a um rumo, à partida decretado, pelas regras da sociedade.
Estas “Palavras de um Sonho” nascem na irreverente juvenilidade de alguém que se assume como um eterno sonhador, não revelando hesitações de qualquer ordem em afirmar que o seu maior sonho está em conseguir o que outros não conseguiram. A viagem pelo plano do Sonho convida o autor a versar sobre as suas mais díspares memórias, reais e ficcionadas.
Um folhear desta obra embalará o leitor numa constante batalha, nem sempre compreendida, entre a emoção e a razão, o coração e a mente. Esta intensa dualidade é particularmente dissecada à luz do Sonho mais genuíno que a nossa existência pode conhecer – o Amor.
Que a capacidade de Sonhar de quem lê se ouse transpor pelas palavras desta Poesia!

Locais de Aquisição:
Livraria Desassossego (Rua de São Bento, Nº34 1200-815 Lisboa)
BERTRAND
http://www.bertrand.pt/ficha/palavras-de-um-sonho…
WOOK.PT
http://www.wook.pt/ficha/palavras-de-um-sonho/a/id/16199863
CHIADO EDITORA
https://www.chiadoeditora.com/livraria/palavras-de-um-sonho

Poderá ainda ser encomendado em qualquer loja FNAC.

Para os nossos seguidores do Brasil, estará disponível para encomenda em toda a rede de livrarias SARAIVA e CULTURA.

Sigam ainda a página da obra no Facebook.  🙂

https://www.facebook.com/PalavrasSonho?ref=aymt_homepage_panel


I felt very happy when this young author contacted me asking if I could introduce his work. Here’s the information about his book, which is now part of our #It’s Raining Books campaign.
We’re counting on you fine people, awesome as you are, to share and spread the word.

Title: Words of a Dream
Author: Tiago Pereira
Pages: 88
ISBN: 978-989-51-2428-2
Collection: Prazeres Poéticos (Poetic Pleasures)
Genres: Poetry

Synopsis: Our reality is built by the knowledge we maintain about the things we touch, the landscapes we glimpse and the people we love.
Resigning ourselves only to that which we believe is real is the same as recognizing, with full conscience of this knowledge, the human being’s incapacity to overcome himself in the sight of new concerns, adventures and feelings. However, to the enormous delight of rationalists, human existence does not reduce itself to a path, decreed on departure by the rules of society.
These “Words of a Dream” born from the juvenile irreverence of someone that assumes himself an eternal dreamer, who doesn’t reveal any hesitation, of any order or magnitude, in stating that his biggest dream is to achieve what others did not. The trip by the dream world invites the author to verse about his most varied memories, both real and fictitious.
Perusing this book will lull the reader in a constant battle, one that isnt always understood, between emotion and reason, heart and mind. This intense duality is particularly dissected in light of the most genuine dream our existence can know – Love.
I wish that the reader’s ability to dream will dare to transpose the words of this poetry!

This work can be acquired through:
Livraria Desassossego (Rua de São Bento, Nº34 1200-815 Lisboa)
BERTRAND
http://www.bertrand.pt/ficha/palavras-de-um-sonho…
WOOK.PT
http://www.wook.pt/ficha/palavras-de-um-sonho/a/id/16199863
CHIADO EDITORA
https://www.chiadoeditora.com/livraria/palavras-de-um-sonho
It can also be ordered in any FNAC store.
For our readers in Brazil, it will be available for orders at any SARAIVA and CULTURA bookstores.

You can also follow the book’s page on Facebook. 🙂
https://www.facebook.com/PalavrasSonho?ref=aymt_homepage_panel

A SINOPSE – THE SYNOPSIS

A sinopse é um resumo, um sumário com características muito próprias que prentede dar a conhecer e chamar a atenção para o nosso romance. É extremamente importante em qualquer obra, é o primeiro contacto do público com a história propriamente dita e deve ser escrita com todo o cuidado e mediante algumas regras. O escritor deve usá-la como forma de fazer uma apresentação chamativa ao seu público.

O Início

A primeira frase deve imediatamente dar uma ideia do ambiente da história, deve ser uma expressão chave, algo que chame a atenção e faça com que o potencial leitor leia a sinopse até ao fim. Deve ser intrigante e imediatamente dar a entender o que se passa.

A base da sinopse deve ser o começo da história, ele mesmo escrito com cuidado para chamar a atenção do leitor e prendê-lo imediatamente.

Ser Breve

Ninguém vai ler mais do que meia dúzia de linhas, passa uma imagem muito complicada do seu livro e difícil de definir. É importante que dê o máximo de informação e motive o leitor a ler, no mais curto espaço possível.

Também não é a hora de usar grandes floreados, o leitor quer apenas saber se vai gostar ou não do livro. Use frases curtas e simples e que deixem o mistério no ar. Quando terminar, volte a ler o que escreveu e pergunte-se a si mesmo “Depois disto, eu iria querer ler o livro?” Seja honesto consigo mesmo e se chegar à conclusão que não, então o melhor é reescrevê-la.

Tom

A sinopse deve ser escrita na terceira pessoa e num tom forte e seguro. Muitas vezes, funciona como chavão publicitário e é fundamental para a visibilidade da obra.

Uma boa ajuda poderá ser ler várias sinopses, ou ouvir, por exemplo, publicidade e trailers de filmes, séries, telenovelas e assim verificar os trechos que são escolhidos para nos chamar a atenção e assim, querermos ver mais. Funciona assim com a sua obra. Tente perceber o que têm em comum as sinopses que lhe chamam mais a atenção e tente reproduzir isso na sua obra.

Personagens

Poderá ser conveniente apresentar a personagem principal, de forma rápida, descritiva, que permita ter uma ideia do que vai encontrar, sem no entanto, denunciar a história. A protagonista e antagonista poderão ser apresentadas, mas devemos evitar dar demasiadas informações sobre todas as personagens.

Contexto

A sinopse deve fornecer um contexto para a obra, uma época, uma localização, algo que faça o leitor identificar de certa forma o que vai ler.

Pontos principais

A sinopse não é um resumo. O objectivo de uma sinopse não é contar de forma resumida a história contida no livro, mas sim, instigar o leitor a ler mais.

É importante ainda definir que a sinopse que é entregue ao editor, não é a mesma que irá na contra capa do livro. Ou seja, ao editor deve ser entregue um roteiro completo, com todos os pontos importantes, incluindo o final. A sinopse a colocar na contracapa do livro é bem distante disto, deve conter alguns pontos principais sim, se acharem conveniente, até o início do conflito, mas jamais poderá dar a entender o final.

Questões

Uma boa sinopse deve deixar algumas questões no ar. As frases, embora claras, devem deixar dúvidas no leitor. O que ele quis dizer com isto? Como assim?

Revisão

Tal como o próprio livro, a sinopse deve ser revista muitas e muitas vezes, até estar o mais perfeita que conseguirem.

Uma boa opção é mostrá-la a um variado número de leitores e deixa-los “criticar” o que escreveu e ir modificando aquilo que considerar que pode ser melhorado.


A synopsis is an abstract, a summary with some very specific features which are meant to give out some information and draw attention to our novel. It is extremely important for any written work since it’s the first contact between the readers and our story and it should respect some rules. The writer needs to use it as a way of appealing his public.

The Beginning

The first sentence should immediately give a notion of the story’s environment. It must be an expression that draws the reader’s attention and makes him keep reading the synopsis until the end. It should be intriguing and, at the same time, understandable.

The basis of a synopsis should be the starting point of the story, which has already been written in such a way as to keep the reader’s attention and attachment to your story.

Shorter is better

No one will read more than a couple of lines, so it’s important that you grant the most information in the shortest space possible. A synopsis too large will give the reader the idea of an extremely complex book and you do not want this.

It’s also not the place to be using fancy words and complex sentences. All the reader wants to know is what’s your book about and if he or she will like it. You should use small sentences and let out some mystery or intrigue. When you finish, read it again and ask yourself “After having read this, would I read the book?” Be honest with yourself and rewrite your synopsis if you feel the need to.

Tone

The synopsis should be written in the third person and in a strong and confident tone. Many times, it works like an advertising buzzword and it is fundamental to your work’s visibility.

A good way of helping yourself doing this, is by reading a lot of synopses, as well as listening and watching, for example, movie and tv show trailers and try to understand what parts they choose to show and why these would make you want to see more (or the opposite). That’s how your synopsis has to work for your book. Try to figure out what the synopses you’ve read have in common and try to reproduce that in your own.

Characters

It could be convenient introducing the main character in a fast, descriptive way, that allows your readers to have an idea of what they may find, without however, betraying the story. The protagonist and the antagonist could be introduced, but you should avoid giving out too much information about all the characters.

Context

The synopsis should provide the reader with some guidance about the book. It could be some era or period of reference, a location, something that makes the potential reader identify what he’ll find within.

Key Points

The synopsis is not a summary. The objective isn’t to tell the story to the person who’s reading it, but making her want to know more.

It’s important to keep in mind that the synopsis you’ll send to the publisher, isn’t the same that your public will end up reading. The publisher should have a text with all the key points of your book, including the end. The synopsis in the cover of the book is totally different. It should have some points, maybe the beginning of the conflict, but never (not even implying) the end of the story.

Questions

A good synopsis should definitely raise some questions. The sentences, although clear, must leave some doubts in the reader’s mind. What does he mean by that? How is this supposed to happen?

Review

Such as with the book itself, the synopsis must be reviewed many times, until it’s perfect, or the closest thing to it.

A good option is to show it to a great amount of readers and let them “criticize” what you wrote. As you get their feedback, you should change that which you consider might be improved.

DEVANEIOS – REVERIES

CAMPANHA #Chuva_de_Encomendas

Título: Devaneios
Autor: Mafalda Ling

Sinopse: Após o lançamento do Pensamentos aventuro-me agora na obra Devaneios, que se passa entre 17 de agosto e 26 de setembro de 2014.
Continuo a escrever com o meu coração pois de outra forma não saberia como o fazer…

Poderá ser adquirido em:
http://www.wook.pt/ficha/devaneios/a/id/15952070
http://chiadoeditora.com/livraria/devaneios

Poderão ainda tentar encomendá-lo numa loja FNAC ou BERTRAND e ajudar a autora a ver o seu trabalho expandir.


“IT’S RAINING BOOKS” Campaign

Title: Reveries
Author: Mafalda Ling

Synopsis: After the release of ‘Thoughts’ I went out on a limb and took a chance, with this new book Reveries, which reflects on what happened between August 17th and September 26th of 2014.
I keep on writing with my heart as I wouldn’t know how to do it any other way…

It may be acquired at:
http://www.wook.pt/ficha/devaneios/a/id/15952070
http://chiadoeditora.com/livraria/devaneios

You may also order a copy at any FNAC or BERTRAND store and help our author expand her work.

A IMPORTÂNCIA DO TÍTULO – THE TITLE AND ITS IMPORTANCE

Atribuir um título a um livro ou texto, é considerada por muitos a fase mais difícil da produção da obra, mas é também uma das mais importantes.

São vários os casos de livros medíocres que se tornaram bestsellers graças ao seu título chamativo, bem como, muitos são os livros de grande qualidade que continuaram a ganhar pó nas prateleiras das livrarias, graças a um título sem graça e que não apela minimamente ao leitor.

Todos os escritores, na hora da escolha, devem ter em mente que o título pode determinar a leitura ou não da nossa história, livro, notícia ou qualquer outra coisa que tenham escrito.

O título deve dar uma noção do que fala a história e criar um suporte para o leitor, ele pode ser uma expressão-chave que capta a essência do que vão ler. Claro que todos conhecemos vários títulos que não nos dizem nada e mesmo assim vendem. Sabem porquê? Provocam curiosidade. Contudo, pode ser um risco, apostar neste estilo de título.

Ninguém lê o conteúdo da história antes de a comprar, por isso, o título tem de ser chamativo o suficiente, para fazer o leitor pegar no livro e com um pouco de sorte, ler a sinopse.

A sua principal função é precisamente a de atrair potenciais leitores e chamar a atenção para o texto. Deve ser, não só apelativo, mas também criativo, algo que supreenda o leitor e que funciona como anúncio ou rótulo.

Como escolho um título para a minha obra?

A menos que já tenham uma ideia muito definida de início, esta é uma das últimas coisas a fazer. Às vezes, a ideia surge durante o processo natural de escrita, há uma expressão no texto, uma ideia simples e quase instintivamente sabemos que aquele é o título adequado à nossa história.

É preciso ter em conta, que o título tem uma relação de dependência natural, face à obra, claro, mas frequentemente, ganha uma vida própria e não raras vezes, é a única parte da obra que a maioria do público conhece.

O título de uma obra deve ser algo sintético, um título demasiado longo cansa e desinteressa o leitor. A menos que seja já um autor de destaque, o seu livro vai estar na prateleira, bem arrumadinho, sendo que o que mais facilmente é visto pelos potenciais compradores é o título. Se este não for suficientemente apelativo…. ele não vai sair da prateleira e o leitor não vai nem saber do que se trata a obra.

Será este que é um bom critério de escolha para o leitor? Talvez não. Mas enquanto escritores, devemos ter a consciência de que os leitores não vão sequer dar a oportunidade à maioria dos livros que estão expostos e todos sabemos que são muitos. Assim, o título deve ser curto e apelativo. Deve fazer com que o leitor se questione e pegue no livro. Ele vai analisar a capa e a sinopse, também de extrema importância no processo e com um pouco de sorte, levá-lo para casa.

Um bom título é fundamental para o sucesso de qualquer obra.


Giving a title to a book or a text is, for many people, the hardest part of its production, but it’s also one of the most important.

There are many cases of average books that became bestsellers with a special thanks to their appealing title, just as there are a lot of quality books gathering dust in the shelves of book stores partly due to a bland title that does not appeal to the readers.

When it comes time to choose a title, any writer should keep in mind that it may determine whether the audience will read his story, book, news or any other thing he may have been writing.

The title should give a notion about the story’s theme and create a support for the reader, it can be a key sentence that captures the essence of what people will read within. Surely you know some titles that don’t say much and even so, they sell or certainly help in doing so. Why? They stimulate the reader’s curiosity. However, it’s risky to bet on this kind of title.

No one reads the story before buying it, so, the title must be appealing enough to make the audience pick up the book, and luckily, read the synopsis.

Its main function is, precisely to attract the readers attention and give them a call to at least glance at the text. It should be, not only appealing, but also creative, something that may surprise the audience and that works as a label or advertisement.

How do I choose the title for my book?

Unless you already have a predefined idea from the beginning, this is one of the last things to do. Sometimes, the idea pops up in the middle of the writing process… there is an expression in the text, a simple idea and almost instinctively we know that specific one is the appropriate title for our story.

You should keep in mind that, despite the fact that the title has a natural codependency with the book, it often acquires a life of its own and, many times it´s the only part most of the public knows.

The title of a book must be something small, as too long a title will make the reader weary and make him lose interest. Unless you’re a featured author, your book will be in the shelf, pretty tidy and the only thing a potential reader will see, at first glance, will be the title. If it isn’t sufficiently appealing… your book will probably remain in the shelf and the reader will not even know what your book was about.

Is this a good choice criteria for the reader? Maybe not. But, as writer, you should keep in mind that the average reader won’t even grant an opportunity to most of the books exposed in the book store, and there are plenty of those. So, the title must be small and appealing. It should make the reader question himself and pick up the book. He will analyze the cover and the synopsis (also of great importance in this process) and with a bit of luck, he will take it home.

A good title is paramount to the success of any book.