Category Archives: Capa/Cover

Alguns Designers – Some Designers

Aqui ficam três exemplos de designers e uma breve amostra do seu trabalho. Conhecem alguns nomes com trabalho de qualidade? Partilhem connosco e aumentem esta lista.

Regiane Cristina
Descobri esta artista brasileira, enquanto pesquisava algumas dicas sobre como construir uma boa capa. Com um claro predomínio da figura humana, Regiane Cristina presenteia-nos com um trabalho interessante e esteticamente muito apelativo.
Encontrem a sua obra, clicando aqui.

Adro von Crow


Neste caso, trata-se de uma querida amiga, cheia de talento, que foi responsável pela capa do meu último romance Sombras.
Não deixem de visitar o trabalho dela. Para isso, basta clicar aqui.

Chip Kidd
Por último, aqui fica o trabalho de um designer bastante experiente, podem conhecer melhor o seu trabalho aqui e quem sabe, inspirarem-se nele.


Here, I leave you with the names of three designers and a brief sample of their work. Do you also know some designers who can provide us, authors, with high quality work? Share some details with us and make our list grow.

Regiane Cristina
I found this brazilian artist, while I was looking for some tips about building a good cover. With an obvious predominance of the human figure, Regiane Cristina present us with some very interesting work, which is aesthetically appealing.
View her work by clicking here.

Adro von Crow


In this case in particular, I’m talking about a dear friend, full of talent, who was responsible for the creation of the cover of my last novel, Shadows.
View her work right here.

Chip Kidd
And, lastly, I leave you with an example of a really experienced designer with huge success under his belt. You can get to know his work here, and maybe, get inspired by it.

A capa: dicas de profissionais – The cover: Professional Tips

Após muita pesquisa, muitos de nós chegamos à conclusão que todos os conselhos são demasiado “vagos” e nem sempre muito úteis no momento de realmente construir uma capa ou pelo menos elaborar a ideia geral para enviar à editora. Pensando nisso, fiz uma pesquisa mais aprofundada, em diversos locais, à procura de dicas e opiniões mais concretas, com ideias práticas que nos podem ajudar no momento de tomar decisões.

Claro que esta ideias traduzem uma série de regras aceites pela generalidade e, muitas vezes, os artistas apostam precisamente na quebra dessas regras, o que poderá ter resultados interessantes, dependendo do tipo de livro e do público-alvo. Ao consultar um designer profissional, é recomendável pedir para ver o seu port-fólio, de modo a perceber que tipo de trabalho podemos esperar dele e se o mesmo nos agrada.

Todas as dicas que estão listadas a seguir, provêm de profissionais da área.

1. Cores
Segundo vários profissionais a melhor cor é o amarelo. É uma cor de grande destaque e que consegue captar a atenção do público em geral. Por outro lado, as opiniões são unânimes: capas verdes não vendem.

2. Figura humana e animais
A figura humana é privilegiada nas capas, o que é facilmente compreensível se pensarmos na importância de nos identificarmos com o livro, para desejar adquiri-lo. Por outro lado, a utilização de imagens de cães ou cobras é aparentemente uma má ideia.

3. Público-alvo e género
É fundamental respeitar estes dois pontos na construção da capa de um livro.
Se escreveram um romance, ou pretendem alcançar o público que lê romances, devem evitar desenhar uma capa muito escura ou com uma imagem com conteúdo mais negativo.
Uma capa abstrata é mais adqueada para uma obra de ficção, por exemplo, enquanto que uma biografia pede a fotografia do protagonista. Já os livros para crianças não podem deixar de ter imagens bem coloridas e apelativas para os mais pequenos.
Se estivermos a falar de um thriller, então podemos recorrer uma capa mais escura, que passe uma imagem de perigo, violência ou solidão. São muitas vezes utilizadas imagens de locais exóticos, que provocam uma série de emoções no leitor.

4. A fonte
Não são apenas as imagens que determinam o sucesso de uma capa, na verdade a fonte utilizada desempenha um papel fundamental e nem sempre lhe é dada a devida importância. O tipo de letra errado, pode arruinar uma imagem perfeita.

5. Diferenciação
Muitas vezes, é preciso assumir certos riscos, de modo a criar uma estratégia de diferenciação para que o nosso trabalho consiga atingir uma certa visibilidade. No entanto, esta deve ser feita com certa cautela, pois uma quebra com os padrões estabelecidos pode não ser benéfica e ter o efeito contrário ao desejado.

Na verdade, a maioria dos designers concorda que ao construir uma capa há dois critérios, um deles mais técnico onde temos que adequar o que estamos a fazer ao conteúdo da obra e o outro, mais subjectivo, que passa pela noção estética e gostos pessoais de cada um. Uma boa capa é capaz de reunir ambas as qualidades.


After a long time of research, many of us are actually faced with the fact that all the advices concerning how to build a cover are just too vague and not always very useful when you really need to proceed and make your own or decide with the publisher what it should contain. Thinking about that, I made a deeper research myself, with a lot of different sources, looking for more concise or poignant tips and opinions, which may help you when making a decision about your cover.

Sure, we are talking about a series of generalist rules, and sometimes, the artists may prefer to break them if it truly serves their purposes, which can produce some interesting results, depending on the book genres or their main audience. When you consult a professional designer, I recommend you to ask for their portfolio, so you know what to expect from his work and if it is indeed what you are looking for.

All the tips listed below are from professionals.

1. Colors
According to a great number of professional designers, yellow is a great color to be used on a cover. It highlights your book on a shelf and captures the general attention from your audience. On the other end of the spectrum, the opinions are also unanimous: green covers do not sell.

2. Human figure and animals
The human figure is privileged on any cover, which is easily understandable, since it makes it a lot simpler for us to identify with the book and, as such, feeling the desire to purchase it. On the other side, it seems that images including dogs or snakes are a bad idea.

3. Audience and Book Genres
It’s imperative for you to respect these two points, when building a book cover.
If you wrote a novel, or are trying to snatch up some avid novel fans and readers, you should avoid a dark cover or a sort of more “negative” image. An abstract cover is more suitable for a fiction work, while a biography asks for the protagonist’s photo. Regarding books for children, colorful images are more appealing for the little ones.
But, if you’re talking about a thriller, a darker cover is definitely more appropriate, an image of danger, violence, solitude. Many times, there some photos of exotic places that are being used on a cover, which tend to provoke a series of emotions on the reader.

4. Font
It isn’t just the imagery that makes for a book cover’s success, actually. The font used in it has quite an important role and sometimes we don’t appreciate its real importance. The wrong font may ruin the perfect image and cover.

5. Differentiation
Plenty of times you need to take some risks, in a manner as to create some differentiation so your work can get some visibility and reach through, grabbing more people. However, breaking the established patterns should be done cautiously, or it can have the opposite result to that you desire.

To be truthful, most of the designers agree that building a cover obeys two criteria, one of them, more technical, forces us to adapt our cover to the book’s content, and the other one, more subjective, is related with our aesthetic sense and personal opinion. A good cover is capable of putting together a mix of both and grab hold of our attention and curiosity.

A Capa: conhecendo as tendências – Cover: Knowing the Tendencies

Para desenhar uma boa capa é importante conhecer as tendências mais actuais e aceites pela generalidade das pessoas. Nem sempre é fácil ter uma noção clara das mesmas, por ser um assunto tão específico, mas graças à internet, o problema pode ser minimizado, basta estar atento.

Existem actualmente inúmeros blogues que se dedicam à crítica de todo o tipo de produto e com as capas não é diferente. Neles podem encontrar publicadas com alguma regularidade as capas que os seus autores consideram mais atractivas e bem construídas. Os artigos com apreciações negativas são igualmente importantes para começarem a perceber o que devem ou não fazer com o vosso trabalho e pouparem-se uma série de dissabores.

A forma como as capas são seleccionadas para o blog depende muito dos seus autores, alguns escolhem as suas preferidas, outros as que tiveram mais sucesso e ainda há os que escolhem aquelas que de alguma forma os surpreenderam, por serem especialmente interessantes ou inesperadas. Independentemente dos critérios de selecção, o autor faz uma crítica ao aspecto geral do livro e à relação entre as ideias que a capa contém e o conteúdo do livro, o que pode ser muito útil quando chegar o momento de imaginarem a capa para o vosso livro.

Alguns exemplos

Basta pesquisar um pouco para encontrar inúmeros artigos onde se fazem críticas construtivas a capas de diversos livros. Aqui ficam alguns exemplos de blogs que podem consultar e onde poderão ter algumas ideias interessantes para os vossos trabalhos.

Covers
Blogue criado em 2005 por um conjunto de designers americanos.

Foreword
Foreword é um blog que se foca no design, poderão encontrar não apenas capas de livros, mas também alguns artigos interessantes sobre arte e fotografia. O blog é mantido por designers profissionais.

Montag
Este blog foi criado em 2007 por um designer brasileiro que faz capas para a editora Livros de Areia. Aqui poderão encontrar críticas a capas e outros objectos gráficos.

Première de Couverture
Criado em 2007, foca-se especialmente nas capas da Penguin Books.

Readerville
Mantido por profissionais do design, este é um fórum criado em Maio de 2000, dedicado à crítica literária em geral e onde poderão encontrar pontos de vista interessantes e construtivos.

The Book Design Review
Criado em Janeiro de 2005 por Joseph Sullivan dedica-se exclusivamente à crítica de livros, focando-se essencialmente na comparação entre as capas das edições americana e britânica do mesmo livro. Aqui poderão ter uma perspectiva interessante sobre as diferenças entre elas e os pontos a ter em conta, mediante o país onde será editado o livro.


Designing a good cover is a goal for any artist who undertakes the task, but, in order to do just that, you must know the latest tendencies and trends. It’s not always easy to have a clear notion of it, since it’s a very specific matter, but thanks to the Internet you can minimize this issue. You just need to pay attention.

Currently, there are many blogs dedicated to criticizing an enormous number of products and with covers, it couldn’t be any different. Therein, you may find regular posts with some covers that the authors considered more attractive or near-perfectly built. The negative appreciations are also quite important for you as they help to understand what you should and shouldn’t do with your work and spare yourself from some disappointment.

There are many different reasons for an author selecting a specific cover, with some of them choosing the ones with more success, others their favorites and there are even some authors which choose the works that somehow surprised them, being especially interesting or unexpected. Regardless of the selection criteria, the author makes a critic about the general appearance of the book and about the relationship between the ideas in the cover and the content of the book, which may be pretty useful for you, when it comes time for you to imagine your own book cover.

A few Examples

With just a little research you can find a lot of articles and blog posts where some constructive criticism is made about plenty of book covers. Below, I leave you with some examples of blogs you may refer and where you may find some interesting ideas for your work.

Covers
Created in 2005 by a group of american designers.

Foreword
Foreword is a blog about design, here you may find, not only book covers, but also some interesting posts about art and photography. Its administrators are professional designers.

Montag
This blog was created in 2007 by a brazilian designer who makes covers for the publisher Livros de Areia (Books of Sand). In it, you may find interesting opinions about covers and other graphic objects.

Première de Couverture
This blog shows up in 2007 and its main focus is the Penguin Books’ covers.

Readerville
Kept by professional designers, this forum was born in May 2000. Here you’ll find literary criticism and some interesting and constructive points of view.

The Book Design Review
Created in January 2005 by Joseph Sullivan, it’s exclusively dedicated to book criticism, mostly focusing in the comparison of the American and British cover of the same book. Here you can find an interesting perspective about such differences and the main points to keep in mind, when you design a cover, about the country where the book will be published.

A CAPA: QUAL A MELHOR ESCOLHA? – COVER: HOW DO I CHOOSE?

Muitas vezes, a própria editora constrói alguns exemplos de capa que envia para o autor para obter a opinião deste. Muitos de nós, estão longe de ser designers ou entendidos no assunto, então, como escolher a capa ideal?

O propósito da capa é, na sua generalidade, fazer com que as pessoas reparem no livro, peguem nele e comprem-no, depois disso, pretendemos que leiam o livro, falem sobre ele e espalhem a palavra a cada vez mais pessoas, por isso, ao construí-la, é preciso ter em conta alguns elementos fundamentais. Em primeiro lugar, o nome do autor. Se estivermos a falar de um autor famoso, o seu nome deve estar destacado na capa, se não o fôr, não é necessário, o título também deve ser uma das primeiras coisas que o potencial comprador vê e ainda a sinopse e frases publicitárias, a fotografia e biografia do autor, etc.

As ilustrações e fotografias são também de extrema importância para uma boa capa. Assim, devem perguntar-se a si mesmos: elas devem estar presentes? Porquê? De que forma se ligam ao conteúdo da obra? Que expectativas vão provocar no leitor? O título, como já vimos, é, também ele, de extrema importância para o sucesso do vosso livro, então de que forma deve ser apresentado na capa? Qual o destaque, posicionamento ou a fonte mais apropriada? É importante que o autor reflita cuidadosamente sobre todas estas questões e tenha absoluta certeza das suas escolhas.

Por onde começo?

A capa tem um papel muito específico, que é provavelmente aquele que mais importa ao autor: atrair o público. Assim, quando pensamos em criar a capa, devemos colocar a nós mesmos algumas questões: Como explicaria a alguém porque ele ou ela iria gostar do meu livro? O que é que o meu livro tem que o torna atraente? O que é que ele tem de especial? É ideal para que tipo de mercado? Devemos ponderar todos estes elementos e então olhar com atenção para a nossa capa, tentando perceber se eles estão refletidos no título e na arte que escolhemos.

Relação texto/imagem

Numa capa convencional há 3 elementos que não podem faltar: o título, o nome do autor e a editora. Estes têm como principal função identificar o livro e fornecer informação básica acerca dele. No entanto, uma capa que se limite a estes três elementos, não é minimamente apelativa e deve ser introduzido algum tipo de imagem ou conteúdo mais gráfico.
Aqui começam então as nossas preocupações, pois esta imagem não deve ser apenas uma ilustração do que está escrito e vai provocar algumas expectativas no leitor, com as quais temos de lidar sem revelar por completo todo o conteúdo do livro, pelo que, esta imagem não deve ser uma representação demasiado literal do que vão encontrar, mas sim algo que desperte a curiosidade no leitor.
Esta relação texto/imagem vai tornar a capa numa importante representação artística do livro, ultrapassando assim, as suas funções básicas de protecção das páginas, informação ao leitor e simples promoção do livro.

Conteúdo

O conteúdo da capa deve estar em conformidade com o conteúdo do livro, o artista que a desenha não deve ser um mero decorador do livro, mas sim, ter conhecimento sobre o mesmo, que lhe permita construir uma capa que não passe uma ideia divergente da obra, nem crie falsas expectativas nos leitores.
Há uma série de informação relevante que deve ser dada ao designer, em primeiro lugar, o conteúdo do livro, o artista deve ler o livro antes de realizar a capa, ou pelo menos ter o máximo de informação acerca do mesmo. É também importante que faça uma pequena pesquisa sobre o autor, livros previamente editados e observe as capas destes. Criar uma imagem de marca é uma boa estratégia para o sucesso da obra.

Cores e Tipos de Letras

O tipo de letra e as cores predominantes da capa serão a primeira coisa que os leitores vêem. Assim, se apresentar ao seu público uma fonte desinteressante, difícil de ler ou pouco profissional (Comic Sans MS e Papyrus estão totalmente proibidas), isto vai afastar os leitores.
As cores usadas na capa podem, também elas, sugerir muito sobre um livro, por exemplo, uma capa escura, com muitas sombras pode sugerir tratar-se de um livro de terror, enquanto que uma capa brilhante e clara, pode levar o leitor a pensar tratar-se de um livro motivacional. É preciso ter em consideração que as cores apelam às nossas emoções e que as imagens usadas na capa podem criar alguns preconceitos na mente do leitor que podem ser usados a favor da obra, ou desvalorizá-la por completo.

A Capa Como Uma Marca Pessoal

Quando estamos a criar uma capa, devemos pensar para além dela. A capa deve passar para o público uma imagem da obra e do próprio autor, uma marca que possibilita uma identificação dos leitores. É importante que a capa passe uma imagem que vá para além de si mesma, mas que surja em tudo o que está relacionado com a obra, tal como o design do vosso site, se tiverem algum, imagens de capa do Facebook, imagem de fundo do Twitter, newsletters on line e qualquer outro material publicitário que possam utilizar.
Isto criará uma imagem de marca do vosso trabalho e de vocês enquanto autores.


Often, the publishers themselves build some cover examples, then, later on, they send these to the author for his or her opinion. Many of us authors, are definitely not designers, or even knowledgeable in the matter, so how do we choose the ideal cover?

The purpose of a cover is basically to get people to notice our book, pick it up and buy it, then proceed to read it, talk about it and spread word of mouth, so you need to take into account some important elements. In first place, the author’s name, if he’s famous it should have a highlighted placement, otherwise not so much. The title, which should be one of the first things your buyer sees, should always be easy to spot and even easier to read as legibility is your friend. And then there’s the blurbs, author’s photo and bio, etc.

Pictures and illustrations are also fundamental in a good cover. So, you should ask yourself: should they be present? Why? In which way do they connect with the book content? What expectations they will create in the readers? The title, as we have seen before, is also extremely important for a book’s success, so you must think: what’s the best way to present it on the cover? How highlighted should it be? What’s the best positioning or the most appropriate font family? You are the author and it’s important that you meditate, carefully pondering the answers to these questions and that you make yourself sure of your choices and decisions.

Where do I start?

The cover has a very specific role that is probably the most important for you: attract the public. So, when you are thinking about creating a cover, you should ask yourself: How do I explain to someone why he or she would like my book? What’s in my book that can make it appealing? What’s special about it? What kind of market would receive it well? You must consider all these elements and then look at your cover and realize if they are reflected in your title and your cover art.

Text/Image Relationship

In a standard cover, there are 3 constant elements: the title, the author’s name and the publisher. Their main function is to identify the book and provide any onlookers with the basic information about it. However, a cover isn’t just whittled down to these 3 elements or it wouldn’t be appealing, so it should also contain some kind of image or graphic element.
Here our concerns start. This image isn’t just an illustration of the text in the cover, it will create some expectations in the audience for which we must be prepared, and be able to deal with it. We can’t risk having a very literal representation of what readers will find in the book, rather an illustration that teases the public and peaks their curiosity.
This text and image relationship will turn the cover into an important artistic representation of the book, exceeding in this manner the basic functions it once provided, of simple protection of the pages therein, providing information to the reader or simply promoting the book.

Content

The cover’s content should coincide with the book’s content, so the designer can’t be a mere decorator of the book, but a person who knows it ‘inside out’ and who can make a cover that doesn’t send out a wrong image for the book and does not create false expectations in the propective readers.
There is a series of relevant information that must be given to the designer. In first place, the book’s content, the artist should read the book before build the cover, or, at least, have as much information as possible about it. It’s important to make a little research about the author, his or her previous books and observe its covers. Creating a brand image is a good strategy for an author and a book’s success.

Colors and Fonts

The font and prevalent colors of the cover will be one of the first few things your readers see. So, if you present to your public an uninteresting font, which is difficult to read or too unprofessional (Comic Sans MS and Papyrus are absolutely forbidden), it will immediately turn off the reader and kill any interest they might or could otherwise have had in your book.
The colors you use may suggest a lot about your book, for example, a dark cover with a lot of shadows can suggest a horror book, the same way that a bright one will probably belong to a motivational book. You have to keep in mind that the colors speak to our emotions and that some images in the cover may create preconceptions in a reader’s mind that can help you or throw you down.

The Cover As A Personal Brand

When you are creating a cover, you must think beyond that. The cover should pass an image of your book and yourself, as an author, some brand that identifies you in a way. It’s important to try and create a certain ‘look’ that affects not only in the cover itself, but everything related with the book, such as, a website design, if you have one, Facebook banners, Twitter background, e-newsletters and any other marketing materials that you might be using or might have.
This will create an image of your work and yourself as an author.

A EVOLUÇÃO DA CAPA AO LONGO DO ANOS – THE BOOK COVER THROUGHOUT THE YEARS

A evolução técnica verificada na construção das capas é um reflexo do contexto social e económico de uma época. O constante desenvolvimento de novos métodos de impressão teve consequências directas na forma como o trabalho é organizado e desenvolvido. A mistura de texto e imagem, por exemplo, é um resultado directo do avanço tecnológico, que veio retirar certos constrangimentos dos sistemas de impressão existentes, permitindo que a capa fosse mais do que a exibição do título da obra.
Uma observação mais cuidada dá-nos uma ideia do ambiente editorial que se vivia aquando da publicação de um determinado livro e da forma como este progride ao longo do tempo.

Década de 40

Entre os anos 40 e 60 deu-se uma grande evolução a nível gráfico, sendo este período conhecido como o mais interessante a este nível.

O final da II Guerra Mundial veio proporcionar as condições necessárias para a consolidação do mercado, através da formação das grandes estruturas editoriais e implementação de estratégias de marketing cada vez mais desenvolvidas.

Década de 50

Na década de 50, novas possibilidades emergem e a fotocomposição (introduzida ainda nos anos 40) impõe-se finalmente, permitindo capas cada vez mais elaboradas e chamativas.

Década de 60

Os anos 60 marcaram uma mudança na cena editorial. Os artistas começaram a ter como principal objectivo agradar às grandes massas e passaram a destacar um maior sentimentalismo e sensacionalismo no seu trabalho.

A capa é o reflexo de uma época e, como autores, devemos manter-nos a par das mais recentes tendências. Segui-las ou quebrá-las, é uma escolha sua.


The technical developments in the construction of book covers’ are a reflection of the socio-economic context of a generation. The incessant development of new print methods had direct consequences in the way professionals organize and develop their work. Mixing text and images, for example, is a direct consequence of the technological advance, which allowed for plenty of the limitations of previous print systems to be overcome, providing covers that are more than the simple showcase of the book’s title.
A more careful observation reveals to us the editorial environment that surrounded a book’s publishing and the progress along the way.

The 40’s

Between the 40’s and 60’s you can observe a great evolution in respect to graphic design, making this time period known for being the most interesting at this level.

The end of II World War provided the necessary conditions for a market consolidation, through the formation of great editorial structures and the implementation of more developed marketing strategies.

The 50’s

In the 50’s, new possibilities arose for publishers and typesetting technology (introduced in the mid-40’s) finally imposed itself, allowing for the creation of even more elaborate and appealing covers.

The 60’s

The 60’s bring a turning point in the publishing industry. The artists’ great concern was to appeal to the masses, so they started highlight a major sentimentalism and sensationalism on their work.
Here is an example.

The cover can be a reflection of a time and as an author, you should keep track of the tendencies, and whether to follow them or break them, that is then up to you.

6 BENEFÍCIOS DE CONSTRUIR UMA BOA CAPA – 6 BENEFITS OF HAVING A GOOD BOOK COVER

1. O livro pode ser exposto para venda em diferentes sítios. Sem ela, apenas teria uma página de título.
Já lá vai o tempo em que a capa era apenas reflexo do capricho de quem comprava o livro e cuja principal função era proteger as páginas que cobria. Actualmente, uma capa diz muito sobre o livro e o autor.

2. Possibilita demonstrar visualmente, qual o género do livro.
Uma boa capa transmite imediatamente o género que livro que temos à nossa frente, podendo atrair mais facilmente o nosso público-alvo.

3. Pode mostrar imagens que são importantes no livro (uma personagem, um lugar, um objecto).
Muitas vezes, uma capa acaba por se tornar num símbolo marcante, associada a uma determinada obra ou autor e a um período histórico.

4. Ajuda a que o autor se destaque da concorrência.
A partir dos anos 20, a capa tornou-se numa forma de promoção do livro, num meio que se tornou mais e mais competitivo. Os livros são actualmente como outros tantos produtos, alvo de desejo, na nossa sociedade de consumo e uma capa colorida e chamativa apela ainda mais a esse espírito.

5. Demonstra profissionalismo.
Uma boa capa passa uma imagem profissional da obra e do seu autor, podendo transformar-se numa forma de potencializar a venda do livro.

6. Pode transmitir o sentido da história. (É triste, alegre…?)
A capa deve transmitir o espírito do livro, revelando um pouco daquilo que o leitor pode encontrar e instigando-o a descobrir o resto, adquirindo a obra. Deve funcionar como uma espécie de sinopse visual do livro.


1. You can display your book for sale in plenty of different places. Without it, you only have a title page.
A book cover is no longer just something an owner, on a whim, wants, in order to protect the paper inside. Nowadays, the cover can, and often does, say a lot about the book and its author.

2. You can let people know, visually, what genre your book is.
A good cover shows, or lets through, almost immediately, the genre of the book, easily attracting your audience, pulling them in.

3. You can display images that are paramount to the book (a character, a place, an object, etc.).
Many times, a cover ends up being a striking symbol of a specific book or author, or even a historical period.

4. You can stand out amongst your competition.
Starting in the 20’s, the cover became a way of promotion, in an environment that only got more and more competitive as time went on. Currently, a book is, like many other products, an object of desire in our consumer-based society, and a cheerful and appealing cover stimulates that drive even more.

5. It is a display of professionalism.
A good cover shows a professional image for the book and its author, enhancing the book’s sales numbers.

6. It can convey the sense of the story. (Is it sad, cheerful…?)
The cover should convey the book’s spirit, revealing a bit of it to the audience and making the potential reader get curious and want to discover more, possibly acquiring the book. The cover should, when masterfully done, work as a visual synopsis of the book.

CONSTRUINDO A CAPA – BUILDING THE COVER

A capa deve ser construída com cuidado e com um bom planeamento. Muitas vezes, enquanto criamos a história, algumas ideias vão surgindo na nossa mente sobre o aspecto que gostariamos que a capa do nosso livro tivesse, no entanto, é preciso ter em conta que não somos especialistas e a capa deve ser desenhada por designers, habituados a lidar com marketing e imagens de marca. Não quero com isto dizer, que a ideia do escritor deva ser ignorada, muito pelo contrário, ela mostra uma imagem personalizada e muitas vezes é fundamental para captar a essência do livro, mas a mesma deve ser trabalhada pelo artista, de modo a tornar-se marcante e apelativa.

Ousar, mas não em demasia!

Uma boa capa deve ser ousada e diferente, chamando imediatamente a atenção do leitor sobre ele, no entanto, nada de cair em exageros: algo demasiado diferente ou irreverente pode ter o efeito contrário, sobretudo em leitores mais conservadores.

É importante que o designer conheça o livro

O conteúdo do livro é, para a grande maioria dos profissionais que desenham capas, o principal ponto de referência para o seu trabalho, o que torna implícita a necessidade de lerem a história como parte da sua preparação para o processo. O designer Chip Kidd (http://chipkidd.com) afirma mesmo que lê os livros antes de começar a fazer as capas. Infelizmente para os autores, isto nem sempre acontece, especialmente, quando estamos a falar em primeiras publicações, na grande maioria das vezes realizadas com editoras pequenas, pelo que devem ficar atentos ao que vos é apresentado e se sentirem a necessidade de vetar a capa proposta, não hesitem. É o vosso trabalho que está em jogo aqui, não temam dar opiniões. Oiçam os especialistas, mas deixem bem clara a vossa opinião ou ficarão extremamente insatisfeitos com o resultado final.

Um só livro, ou uma série de livros?

Esta é uma questão à qual o escritor tem de responder o mais depressa possível. Quando estamos perante uma série de livros, deve haver um planeamento mais ou menos conjunto, para que todos tenham o mesmo estilo e fiquem bem, juntos numa estante. Pode não parecer assim tão significativo à partida, mas acreditem que poderá fazer toda a diferença pela óptica dos leitores. Se não houver este cuidado, pode dar-se o facto do leitor pensar: para quê comprar o próximo livro? Há uma maior tendência para adquirir toda a série, se o conjunto dos livros formar algo interessante visualmente.
Assim, ao planear uma série de livros, é importante que cada uma das capas, não só, respeite o título individual do livro, como mantenha uma relação óbvia com as restantes, havendo determinados elementos gráficos que façam parte de todas elas.

Então, e os e-books?

A Internet é, sem sombra de dúvida, um excelente espaço para dar a conhecer e fazer publicidade ao seu livro, mas isto não é o suficiente. Boas reviews são excelentes e ajudam-nos a consolidar um certo público, mas a capa é sempre a primeira coisa que as pessoas vêem e o principal motivo pelo qual vão procurar mais informação sobre determinada obra. O mesmo acontece com os e-books. Na verdade, uma boa capa é fundamental e, em sítios como a Amazon, devemos ainda colocar outra questão: esta capa fica bem em tamanho thumbnail?

E a editora?

A identificação da editora é fundamental e pode até influenciar a aquisição do livro pelos leitores. A capa e a lombada sao espaços privilegidos para esta identificação, sendo que não se trata apenas de incluir o nome e o logotipo da mesma. Muitas vezes, a editora trabalha com colecções que incluem livros de diversos autores e estes devem ter um ponto comum. É importante discutir todos estes pormenores com a editora, antes da decisão final.

 

A capa deve ter um aspecto profissional, caso contrário os leitores vão acreditar que se trata de trabalho de amador e ignorá-lo por completo. A maioria do público vai considerar que um trabalho assim não merece o tempo que perderão a lê-lo, por isso, é preciso escolher com muito cuidado, não só o tema da capa, mas também o designer. Um bom entendimento entre o autor e o designer é fundamental, especialmente nas edições de autor (self publishing). Nunca se esqueçam que uma má capa, pode arruinar anos de trabalho intenso.


The cover for your book must be built carefully, with the help of some good planning. Many times, when you create the story, some ideas may pop up in your head about the cover’s design, although, you need to keep in mind that you’re not a specialist and the cover should really be designed by professionals, who are used to dealing with marketing and branding considerations. This doesn’t mean that your idea isn’t important or that it should be ignored, quite the opposite. Your idea probably shows a personalized image or notion and is often an essential component in order to capture the book’s essence, but it should be crafted by the artist anyway, to make that it is appealing or outstanding.

Daring, but not too much!

A good cover should be bold or different, getting the potential reader to immediately look at it, however, you must be careful so as not to exaggerate: something too different or too irreverent could have the opposite effect, especially with the most traditional readers.

The designer needs to know the book and what it’s about!

Most of the professionals who design book covers admit to the contents of said books being the main reference for their work process. This should in fact tell you how real, obvious and necessary it is, that your own cover’s designer read your book’s story, in preparation for his own cover design process and work. The designer Chip Kidd (http://chipkidd.com) has stated multiple times, that he reads the books fully before starting any work on their covers. Unfortunately for the authors, this isn’t a rule set in stone for all designers, specially on your first book, usually published by small companies, so you must pay attention to what is presented to you and, if you feel that need, just say no to that particular cover project. Do not hesitate. It is your work on the line, do not be afraid to make your opinion known. You need to hear the specialists, of course, and heed their advice, but you should make your opinion very clear, or you’ll risk being disappointed with the final result.

One book or a series of books?

This is an important question, which the author has to answer as soon as possible. When you’re doing a series of books, a general plan for all of those covers should be made, so they have the same style and look good on a shelf (be it in the bookstore, library or at home). That may not seem very significant, but it can make all the difference to your audience. If this isn’t carefully planned or thought out, your reader might in turn think: why should I buy the next book? There is a statistically greater tendency to acquire the whole series if the books match somehow, becoming visually interesting or appealing.
Therefore, when you’re planning covers for a series of books, it’s important that each one of them not only shows the individuality of that particular book, but also, shows an obvious relationship with the others, keeping some graphic elements that may be a part of the entire series’ covers.

And how about e-books?

The Internet is, without a doubt, a great place to spread the word, but it’s not enough. Good reviews are great and can help you in consolidating your audience. However, the cover is always the first thing people see and one of the main reasons why they will get interested or curious and try to learn more about your book. With e-books in particular, this isn’t at all different. In fact, a good cover is always fundamental, a staple even, and in web stores like Amazon, you should even go so far as to think about another small point: does your cover look good in a thumbnail? It wouldn’t hurt!

And… how about the publisher?

The publisher logo or identification is quite important as well and those can even be an influence on the readers, as to whether to buy the book. The cover itself and the book’s spine are privileged spaces for this and should often include both the publisher’s name and logo. Many times, the publishers work on a collection basis, and each one of these collections will include books written by many different authors and should have some commonality among them, which can also be displayed. It’s important to discuss all these details with your publisher before reaching and taking a final decision.

A cover must look professional, otherwise your readers will think you’re an amateur and ignore your work. Most of the public will believe that a book with a very poor cover generally isn’t worth their time, so you must choose carefully, both the cover’s theme and the designer. A good understanding between the author and the designer is paramount, especially in self publishing. Never forget that a bad cover can actually harm, or even ruin, years of hard work.

PRÓXIMO PASSO: A CAPA – NEXT STEP: THE COVER

Quando terminamos o nosso livro, somos invadidos por uma sensação de concretização. No entanto, nada está terminado. De todo. Agora, há uma série de decisões importantes a tomar e uma delas é: a capa. A capa é vital para o sucesso de qualquer livro e requer que tiremos algum tempo para pensar nela.

Por um instante, esqueçam que são autores e pensem em vocês mesmos quando vão comprar livros. Vêem um livro que não conhecem, de um autor do qual nunca ouviram falar, qual é a primeira coisa na qual reparam? A capa. Se for apelativa, irão provavelmente pegar no livro e vê-lo melhor. Levanta-se então um problema, como construir a capa ideal para o nosso livro e ainda torná-la apelativa para o público?

Uma boa capa, precisa não só de despertar o interesse do leitor, mas também de transmitir uma mensagem acerca do nosso livro.

Determinante para o Sucesso

Bali Rai, dá-nos um exemplo concreto sobre como a capa pode influenciar a forma como o livro vai ou não ser visto pelo nosso público. Em 2002, Rai foi um dos jurados num concurso que visava a atribuição de um prémio literário (para saber mais, consulte) e deparou-se com uma história que lhe pareceu maravilhosa. Interessante e bem escrita, tinha tudo para ter sucesso, no entanto, e tendo em conta a qualidade dos outros candidatos, não foi a sua escolha. Porquê? Rai considerou que a capa do livro em questão ia dissudir o potencial público. Segundo ele, era uma capa monótona e desinteressante, que mostrada a diferentes pessoas, recebeu de todas elas uma reacção negativa. Como vêem, uma boa história pode ser completamente arruinada por uma má capa.

No mundo editorial, é amplamente aceite a importância de uma boa capa para o sucesso comercial do livro. Segundo os especialistas, quando olhamos para a capa de um produto somos invadidos por uma série de sensações inconscientes, porém determinantes. O nosso cérebro processa mais rapidamente uma imagem, do que texto, e quando olhamos para ela, faz-nos imediatamente sentir alguma coisa.

Este é o primeiro contacto com o produto, vai criar uma determinada impressão no leitor e, idealmente, incitá-lo ao consumo. Assim, podemos dizer que a capa pode decidir o destino de uma obra nas prateleiras da livraria.

A Capa Como Forma de Expressão

A capa é também uma forma de exprimir sentimentos e passa uma imagem simbólica do próprio autor, assumindo o papel principal na relação entre o autor e o seu público. Uma capa descuidada dará uma imagem de pouco profissionalismo, levando os leitores a questionar-se sobre o empenho do escritor no conteúdo do livro. Ela vai não só demonstrar a personalidade da própria história, mas servir como uma marca pessoal do autor.

Da mesma forma, é importante que esta seja adequada ao público-alvo e por isso, há o cuidado por parte das grandes editoras de modificar a capa consoante o mercado onde a obra vai ser inserida, tendo sempre em consideração o ambiente cultural e sócio-económico dos potenciais compradores. Para tal, tudo tem influência, desde os logotipos e imagens utilizadas, ao tipo de letra. Um bom design é uma ferramenta de marketing fundamental e um dos passos mais importantes no processo de publicação do seu livro.


When you finish your book, you’re invaded by a sensation of completion. However, that’s not the end. At all. Now that you find yourself here, you have a lot of important decisions to make and one of the most important is: the cover. Covers are somewhat vital to the success of a book and require that authors take some time to think about them.

Humor me just for a moment. Forget you’re an author and think about the times when you’re buying books. When you see a book that you don’t know, by an author who you’ve never heard about, what’s the first thing you look at? The cover. If it’s appealing to you or leaves you rather curious, you may pick up the book and inspect it closer. And herein lies the problem: how do you build the ideal cover for your book and, at same time, make it appealing for the public?

A good cover needs to attract the reader’s interest and send a message about our book.

Determinant for Success

Bali Rai, gives us a concrete example of how the cover can influence the way the book will or will not be seen by our audience. In 2002, Rai was a jury in an award of literary prizes (for more, see ) and came across a story that seemed wonderful. It was interesting and well written. However, taking into account the quality of the other candidates, it was not his choice for the winner. Why? Rai found that the cover of the book in question could discourage the potential audience. According to him, it had a dull and uninteresting cover, which he displayed to several different people and all of them had a negative reaction. So, as you see, evidence seems to point out that a perfectly good story can be somewhat ruined by a bad cover.

The publishers around the world widely accept the importance of a good cover for a book’s commercial success. According to the experts, when we look at a cover we are overwhelmed by a series of feelings, unconscious, yet decisive. Our brain processes images faster than it does words and when we look at one, it makes us immediately feel something.

This is the first contact with the product, it will create a certain impact on the reader and it should, ideally, encourage him to acquire it. So we can pretty safely state that the cover can decide the fate of a book on the bookstore shelves.

The Cover as an Expression of your work

The cover is also a way to present and express feelings as it gives a symbolic image of the writer, assuming the main role in the relationship he builds with his public. A careless cover will provide readers with an unprofessional image, leading them to question themselves about the inside contents of the book. The cover will not only reveal the story’s personality, but also define your individual brand.

It is also important that the cover maintains a focus on the target audience, so the great publishers are careful enough to change the cover of a book according to the market where it will be inserted, keeping in mind the culture and socio-economic status of the potential buyers. In that regard, everything matters, from the logos to the images or even the font style. An impressive cover design is a crucial marketing tool and one of the most important steps when publishing a book.